terça-feira, 11 de dezembro de 2012

O Pior Diretor de Todos os Tempos


    "Saudações meus amigos, você está interessado no desconhecido, no misterioso, no inexplicável, por isso você está aqui. E agora, pela primeira vez trazemos a história completa de todos acontecimentos. Trazemos evidências baseados apenas em testemunhas secretas de almas miseráveis que sobreviveram a esta aterrorizante provação. Os incidentes, locais... meu amigo, não podemos mais manter este segredo. Será que seu coração aguenta os fatos chocantes da verdadeira história de Edward D. Wood Jr.?"


    Medonho não? é assim que começa o segundo filme da dubla Burton/Depp, Ed Wood. Este talvez seja o filme menos conhecido de ambos, na opinião de muitos críticos esta é a melhor das histórias de Tim Burton e Depp.


    Johnny desta vez é Ed Wood, um diretor que vem falindo no teatro e resolve tentar a sorte no cinema, gênero que é simplesmente apaixonado, então é contratado por um produtor que só pode oferecer-lhe baixos recursos. Por pura sorte encontra com Béla Lugosi (Martin Landau), um ator de filmes de terror por muito tempo esquecido. Com isso Ed convence seu produtor a colocar Lugosi no filme.


    Você está achando este personagem muito comum para Johnny Depp? Eu também esta achando, até ele revelar um segredo para sua mulher, a atriz Dolores Fuller (Sarah Jessica Parker)... Ed Wood se vestia como mulher por puro prazer! Não, ele não era gay, apenas se sentia confortável vestido como mulher. É um personagem único, engraçado, diferente, energético e muito divertido.


    Ele tenta de tudo para fazer o filme, fugia da polícia quando não tinha licença para gravar em locais públicos, promovia festas para tentar um patrocínio e ainda contrata um grupo de desajustados como atores para gastar menos. É fantástico ver sua paixão pelo cinema, pelo filme que está montando, que não há como desgrudar os olhos da tela para descobrir o belo final da história.


    E acredite, esta história é verídica. Ed Wood, foi e é considerado por muitos como o "Pior Diretor de Todos os Tempos", ele fazia filmes trash na época de ascensão dos grandes estúdios de Hollywood, por isso o filme se passa em preto e branco, assim como "O Artista", para situar o expectador na época dos filmes. Com um baixo orçamento para montagem de filmes seus trabalhos se destacaram por sua criatividade em efeitos especiais, que por muitas vezes foram considerados um tanto duvidosos.


    Ed Wood conheceu Béla Lugosi, ator dos primeiros grandes filmes de terror, que interpretou o primeiro Drácula e morreu aos 73 anos depois de trabalhar em três filmes com seu grande amigo Ed Wood. Uma cena do filme mostra a última atuação de Béla, feita aleatoriamente para Wood e colocada em Plan 9 From Outer Space. Martin Landau ganhou o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por interpretá-lo no filme.


    Outros dois atores no time de desajustados de Ed Wood são Tor Johnson e Maila Nurmi. Tor Johnson foi um lutador encontrado por Wood que recebeu um convite para participar dos filmes do diretor e que com isso se tornou uma máscara popular nas festas de Halloween, e Maila Nurmi era mais conhecida como Vampira por fazer uma série que mostrava filmes de terror, porém esta participação na TV teve duração de apenas um ano, Ed Wood vinha escrevendo papéis para ela a tempos, porém só participou de um.

    O filme possui outros atores de peso no elenco, Bill Murray e Jeffrey Jones, que completam ainda mais o filme com a aparição de um Sarah Jéssica Parker ainda nova e desconhecida como Carrie de Sex And The City. Ed Wood conheceu muitas pessoas, em sua maioria estranhas e malucas, e isso Tim Burton e sua legião de atores conseguiram mostrar isso com sabedoria no filme. Enquanto a Johnny Depp, um trabalho incrível ao interpretar Ed Wood, uma mistura do otimismo de Ronald Reagan, com as maluquices de Mr.Magoo e um jeitinho de Homem de Lata de O Mágico de Oz.


    Para se ter ideia o filme de Tim Burton teve um orçamento maior do que todos os filmes de Ed Wood juntos, Burton diz que resolveu fazer este filme por conta de que a amizade de Ed Wood e Béla Lugosi lembrava-o de sua relação com Vincent Price (para saber mais leia o primeiro post desta maratona). Ed Wood o inspirou de várias formas, até ao escrever seu primeiro filme com Depp, Edward Mãos de Tesoura, o nome do personagem principal é em homenagem ao diretor.


    O monólogo no começo do post é feito por Jeffrey Jones nos primeiros minutos do filme, ele é uma referência ao filme Plan 9 From Outer Space, onde o personagem proclamava o mesmo texto (na verdade o filme faz referências a todos os projetos de Ed Wood a todo o momento). Este foi o primeiro filme de Burton sem Danny Elfman, que dá falta no filme, por não possuir uma boa trilha sonora como as do músico.


    O filme começa com créditos de abertura mostrando os nomes dos atores em lápides, com polvos e referências aos filmes trash de Wood. É um ótimo filme, se não o melhor de Tim Burton e Johnny Depp, não há como não gostar de sua maneira engraçada, extrovertida e diferente, e ainda há um universo de detalhes que você só poderá descobrir conferindo o filme.

7X7 da semana: Tim Burton e Johnny Depp

"Este é um post '7X7', dicas de maratonas de 7 filmes para os 7 dias da semana."

3 comentários:

Marcelo keiser disse...

Boa tarde;

Esse filme foi o unico filme da parceria Burton/Depp que eu ainda não assisti. Mas sei... que é um filme de gosto singular. Um dia ... quando surgir opurtunidade eu verei.

abraço

marcelokeiser.blogspot.com.br

B-Cine disse...

Gabriel, esse post me emocionou, pois ed Wood não é somente o melhor filme de Tim Burton. na minha opinião, é o melhor filme já realizado no cinema. É o meu Cidadão Kane.
Algo interessante é que o filme foi realizado na época em que o cinema comemorava 100 anos de existência. Ao invés de Burton falar sobre um diretor consagrado, preferiu a história do opior de todos e fez com muita sensibilidade. me emociona no filme a relação de Ed Wood e Bela Lugosi.
Eu gosto da trilha sonora Gabriel. Acho que é a cara do filme.
Parabéns pelo belo post!

Marcelo não deixe de assistir essa obra prima.

Gabriel Alves disse...

Marcelo, eu gosto da Trilha Sonora também, mas eu senti falta de um trabalho maior, mas levando em consideração que é um filme sobre o pior diretor dá até para entender hehe eu vi em seu blog, logo na capa a foto de Johnny Depp interpretando EdWood, fico muito feliz por você ter gostado do post de um filme que tanto ama, valeu.